amor

Sonhos do Coração

the-new-art-of-capturing-love-gay-wedding-5

“Sonhos do Coração”

Se eu pudesse escolher entre a fantasia e a realidade
Escolho pela verdade de me encontrar no meu delírio
Pois só eu posso fazer no meu mundo minha vontade
Espero não sentir saudade daquele que meu a mão
Pois me lembro como se fosse ontem do homem com quem estive
Da linhagem mais nobre, me despertou confusa paixão
Depois das tempestades do dia anterior,
No aconchego de meu cobertor
Escolho sonhar contigo outra vez e mais um pouco
Por isso dizem que sou do tipo sonhador mais louco
Mas que posso fazer se nos teus olhos os meus se encontraram?
Meu sonho era poder te fazer aparecer em minha frente
Quem me dera a realidade fosse diferente
Semelhante ao meu mundo tão surreal
Pois só eu posso dizer o que é real ou não
Pois tudo se passa apenas em meu coração.

Um Amor no Rock in Rio

12033235_991850617502858_6281235688781989205_n

O post demorou mas chegou. Assim como o Rock in Rio. E também assim como aquelas coisas que nem parecem ser reais. Eu paro e penso se aquilo tudo realmente aconteceu. Um amor de festival. Coisa de filme, não é? E se eu contasse para vocês que eu vivi esse filme?

Foi tudo muito engraçado em relação ao Rock in Rio. Acabei chegando m dia antes no Rio, e revendo uma amiga de anos. E papo vai, papo vem… convenci ela a ir comigo! Pegamos o ônibus da Primeira Classe ali no Jardim Botânico, bem de frente para a Lagoa. E partimos em direção ao dia de nossas vidas!

12042774_991846334169953_3829147822356681034_n

Quem me acompanhou pelo snap sabe que foi tudo muito sensacional e que eu e Ana Catharina estávamos mais que animados com tudo o que podia rolar. Especialmente eu.

Foi o Caio que me fez arrepiar o dia inteirinho. E a companhia dele foi a melhor de todas. Enquanto o Rock in Rio me fazia cantar, dançar, morrer de frio da chuva, ele estava lá me animando e sendo fofo sem parar. O que tivemos foi super mágico e não sei nem como explicar. Acho que algumas coisas simplesmente não têm explicação e nem precisam.

Fiquei numa fila gigantesca para marcar a hora da Roda Gigante – que por conta da chuva nem pude ir. Foi mais ou menos nesse momento que eu acabei me encontrando com o boy que ia me fazer sentir estrelinhas no meu coração. E nós caímos na folia. Nós 3. Espia só:

Durante o show da Katy não seria diferente. Acho que nunca vou esquecer tudo o que eu senti naquele momento – abraçadinhos na parte acústica principalemente. E todo dia antes de dormir eu agradeço baixinho por ter acontecido isso na minha vida.

O meu Rock in Rio foi completamente inesquecível e ele é o responsável de tudo isso. 

Se você não viu o show da Katy, aproveita para assistir agora mesmo!

Saber a hora de parar também é importante

tumblr_lxytdhXbxT1qgx6jto1_500

Sempre me falaram que desistir é para aqueles que não tem a coragem de continuar lutando. E cresci pensando que fosse assim mesmo: que eu tinha que ficar tentando até conseguir e nunca desistir. Por muitas vezes fiquei tirando de mim forças de onde eu nem fazia ideia de que eu tinha. Não queria me permitir desistir diante de alguma situação ou alguém. Mas com o tempo eu entendi que nem sempre desistir é sinal de fraqueza. E pelas experiências que eu tive até agora, eu precisei ser muito forte para desistir.

Precisei ser forte para desistir de sonhos, de pessoas, de rotinas. Desistir daquilo que lutamos tanto para conquistar… parecia loucura para mim. Não foi fácil, aliás nunca foi. E para mim – uma pessoa que acredita em terceiras chances – é sempre muito doloroso. Ainda mais quando se trata daquilo que você se abriu e se doou completamente.

Desistir não significa nunca ter tentado, ou não tentar mais uma vez. Simplesmente é ter a maturidade para saber o que vale a pena, e o que vale o seu tempo e o seu coração. Mas que a gente não confunda nunca, quem ama de verdade desiste sim, mas não deixa de amar.

Som x 05

gold_sparkle_glitter_wallpaper_hd_10_background

Vocês se lembram de como é amar? Se pegar cantando no chuveiro, sorrindo pro celular e suspirando nos primeiros minutos das minhas manhãs. Não saber o que está acontecendo comigo. Mas sei que isso é muito bom. Fico ansioso toda vez que você vem me encontrar e passo nossos momentos em meu coração várias e várias vezes. Queria que a vida tivesse um repeat. Quando parece que tudo é diferente: meu jeans não veste igual e as músicas românticas parecem me procurar pra me dizer o seu nome. Essas músicas não são necessariamente novas, mas mudaram completamente para mim.

Balneário (do Amor) Camboriú

1

por Nathalia Mattos

Eu e meu namorado Pedro fomos para São Paulo e, na volta, pegamos aqueles folhetos de avião que é lotado de pacotes de viagens para lugares maravilhosos. Claro que nenhum era viável para o nosso bolsinho, principalmente para o meu que estou desempregada. Olhando nas viagens nacionais, achamos um pacote de um lugar que sempre quis ir: Balneário Camboriú – Santa Catarina. Sempre quis conhecer o parque do Beto Carrero World, conhecer as cidadezinhas alemãs que têm por lá. O aniversário do Pedro estava chegando e ele começou a imaginar mil coisas, planejar tudo e eu, óbvio, questionando se ele estava ficando louco. Sem dinheiro como a gente ia viajar? Só sei que foi assim. Parcelamos tudo e fomos. Dia 21 de Maio, bem no dia do aniversário dele.

Chegando lá de tardezinha, fomos direto para o hotel nos arrumarmos para comemorar o aniversário dele. Como eu disse, Pedro já havia planejado praticamente tudo que iríamos fazer lá. Então pegamos um táxi e fomos para o restaurante Didge que é australiano que possui uma decoração típica e atrações diferentes para cada dia da semana. Ah, como tudo lá em Balneário, não é barato não, rs.

5

No dia seguinte, fomos para um mini tour em uma van com uma guia e um pessoal que comprou a viagem na mesma companhia. Passamos por uma fábrica de cristais, outlets, inclusive um deles era da Hering, pois a fábrica no Brasil fica lá. Passamos também por Blumenau no Museu da Cerveja e vimos onde é feito o Oktoberfest. Por último, visitamos a Villa Germânica, que é uma pequena simulação de como é uma vila na Alemanha. Eu amei o lugar. Cheio de lojinhas de comidas e cervejas de lá, presentes de visita, camisas, etc.

Ainda no mesmo dia, saímos à noite para comer e fomos a uma pizzaria maravilhosa chamada Pizzaria Bis. Lá têm vários sabores diferentes de pizzas salgadas e doces, com tamanhos diferentes e pasmem: bordas de calabresa com catupiry!!! Aprovadíssimo o lugar.

3

O segundo dia, foi dia de Beto Carrero!!!! Como era sábado, lotou demais e o jeito foi comprar aquelas pulseirinhas de Fast Pass. Adiantou muito nossa vida, já que a gente “furava” as filas. A gente tinha direito de fazer isso 12x nos brinquedos que permitiam isso. Óbvio que usamos tudo, aproveitamos tudo que podíamos. Fomos nas duas montanhas-russas mais radicais, no rio do Madagascar, passeamos pelo Zoo, fizemos o trenzinho do Beto Carrero, almoçamos em um Show de Excalibur que funcionava assim: você sentava em uma arquibancada com uma cor que você escolhia e daí tinha que torcer para o guerreiro da respectiva cor. Foi bem divertido. Confesso que, mesmo que eu já tenha ido à Disney, eu tava com bastante medinho e falava com Pedro que estava “enferrujada”, mas no fim aproveitei tudinho doida pra voltar lá de novo! Sem contar que ele me convenceu, depois de muitas tentativas, de ir no elevador menor, porque eu tenho horror a sensação de estar caindo. Fui só de olhos fechados e segurando a mão dele e ainda gritei bem alto (e ainda fui mais uma vez). Pedro ainda foi louco de ir naquela torre gigantesca de 100m (120km/hr), já eu, nem morta.  Apesar da minha alma ter ficado lá, amei o parque e voltaria sem pensar duas vezes.

Mesmo meio mortos, também aproveitamos a noite de sábado e fomos comer temaki na Temaki Art. Logo em seguida, fomos experimentar um bar só de caipivodkas. Esse eu infelizmente não sei o nome, pois era bem pequeno.

No último dia, fomos ao Parque Unipraias onde subimos de bondinho, andamos num carrinho muito legal lá em cima que é tipo uma montanha russa, mas é bem de leve e é no meio do mato. Muito diferente e gostoso de andar. Tiramos fotos das paisagens e eu infelizmente rejeitei a ideia de descer 750 metros a 60 km/h em uma tirolesa. Sério, era muito alto. Pedro desistiu só porque eu não quis ir. Fazer o que né. Logo depois de lá, descemos de bondinho mesmo e fomos atrás do nosso último almoço na cidade. Fomos a um restaurante simples. Comemos, fomos para o hotel esperar os guias nos levarem ao aeroporto. E assim que acabou nossa viagem.

A experiência foi sensacional, voltaria atrás com certeza e faria tudo de novo. Foi ótimo para nós dois, ficarmos um pouco sozinhos curtindo só nós dois e um lugar diferente, com bastante diversão incluída. Aconselho muito, porém… Vai ser bem melhor se estiverem com bastante grana, porque lá é tudo bem caro, já que é uma cidade turística. E se vocês forem em época de alta temporada, leve ainda mais dinheiro e veja muito antecipadamente onde irão ficar e tudo mais, porque lota DE VERDADE.

No mais é isso galera. Vocês também tem uma experiência de viagem como essa? Conta pra gente!

Beijos da Nath ❤